Brasão

brasãoSantacruz

Escudo samnítico encimado pela coroa mural de oito torres, de argente e iluminada de góles. Em campo argente, uma cruz de Cristo de góles, firmada no ápice da elevação central de três montanhas de sínopla nascentes de um aguado argente e ondado de sínopla ao termo. Como apoios do escudo, a dextra e sinistra, galhos de algodão florido ao natural, entrecruzados em ponta e sobrepostos de um listel de góles, contendo em letras argentinas o topônimo "SANTA CRUZ" ladeado pelos milésimos "1876" e "1914".

(Art. 19, da Lei 87, de 26 de janeiro de 1977.)

O Brasão do município de Santa Cruz, de autoria do heraldista Prof. Arcinoé Antonio Peixoto de Faria, teve sua composição regulamentada pela Lei Municipal nº 87, de 26 de janeiro de 1977, que descreve a seguinte interpretação simbólica:

a) o escudo samnítico, usado para representar o Brasão de Armas de Santa Cruz, foi o primeiro estilo de escudo introduzido em Portugal por influência francesa, herdado pela heráldica brasileira como evocativo da raça colonizadora e principal formadora da nossa nacionalidade; 

b) a coroa mural que o sobrepõe é o símbolo universal dos brasões de domínio que, sendo de argente (prata) de oito torres, das quais apenas cinco são visíveis em perspectiva no desenho, classifica a cidade representada na SEGUNDA GRANDEZA, ou seja, sede de Comarca - a iluminura de góles (vermelho), pelo significado heráldico da cor é condizente com os predicados próprios dos pioneiros colonizadores e dos dirigentes da comunidade;

c) o metal argente (prata) do campo do escudo é simbolo de paz, amizade, trabalho, prosperidade, pureza, religiosidade;

d) em abismo do campo, o cruzeiro de góles (vermelho) erigido em pedestal no ápice de uma elevação existente nas proximidades da cidade, origem secular do topônimo que a cidade ostenta;

e) a cor góles (vermelho) é símbolo de amor-pátrio, dedicação, audácia, intrepidez, coragem, valentia;

f) as três montanhas heráldicas de sínopla (verde) lembram o panorama da Serra que se descortina da cidade, nascentes de aguado de argente (prata) e ondado de sínopla (verde) representa o Rio Trairi;

g) a cor sínopla (verde] é símbolo de honra, civilidade, cortezia, alegria, abundância - é a cor simbólica da "esperança" e, a esperança é verde, porque lembra os campos verdejantes na primavera, fazendo "esperar" copiosa colheita;

h) nos ornamentos exteriores, os galhos do algodão floridos ao natural, lembram o principal produto oriundo da terra dadivosa e fértil, esteio da economia municipal;

i) no listel de goles (vermelho), em letras argentinas '(prateadas) inscreve-se o topônimo identificador "SANTA CRUZ" ladeado pelos milésimos "1876" da Criação do Município e 1914" da Elevação a Cidade.

Última atualização em Terça, 28 May 2013 13:50

contracheque

Ir Para o Topo